ENTREVISTA COM DIRETOR DO FILME “MEU AMIGO CLÁUDIA” QUE ESTARÁ NA PROGRAMAÇÃO DA MOSTRA POSSIVEIS SEXUALIDADES

“Quase foi pra gaveta”, diz diretor do documentário “Meu amigo Claudia”
Por Marcelo Hailer (A Capa)

Dácio Pinheiro, 34, é o responsável pela ideia e direção do documentário “Meu Amigo Claudia”, que retrata a história de Claudia Wonder, uma das artistas mais importante dos 80 e 90. “Meu amigo…” tem feito sucesso em todos os festivais por onde foi exibido. Lotou em São Francisco, Madri e no Brasil, onde foi exibido em São Paulo no Festival Mix Brasil de Cinema de 2009.

Pinheiro contou a reportagem do A Capa que a ideia do projeto surgiu após ele conhecer pessoalmente a Claudia e ao escutar as histórias de sua vida. “Principalmente a história da performance da banheira que ela fazia”, conta Dácio.

Mas nem tudo são glórias em torno do filme. Ao todo foram quatro anos para a conclusão do documentário, que graças a produtora Piloto, que acreditou no projeto, foi possível a realização. Segundo Dacio, o longa quase foi pra gaveta.

Dando continuidade a sua carreira de sucesso, “Meu amigo Claudia” esta participando da mostra competitiva do festival Ine-dit de documentários musicais. Na entrevista que você confere a seguir, Dácio fala sobre a escolha dos entrevistados, o que o motivou a contar parte da história de Claudia Wonder e de sua geração que, segundo o cineasta, carece de “memória” histórica.

Como está o trajeto do documentário nos festivais?
O filme estreou no ano passado em São Francisco, depois ele foi exibido em Madri (Espanha) onde nós ganhamos o prêmio do público e depois foi exibido no Mix Brasil. Foi sua primeira vez país e também foi premiado como melhor documentário.

Como foi a reação do público nos países estrangeiros?
Foi bem legal. As pessoas interagiam bastante, foi uma surpresa.

Em relação à Cláudia, surgiu curiosidade?
Em São Francisco as pessoas ficaram muito curiosas. O interessante é que a Claudia foi também ao festival e lá organizaram um show pra ela fazer.

O que motivou você a fazer o documentário sobre a Claudia Wonder?
Quando eu conheci a Claudia eu fiquei sabendo de várias histórias e por eu não ser daquele universo underground e roqueiro,  acabei me interessando por fazer o documentário. Eu também quis contar uma historia de uma geração que ainda carece de memória, que é os anos 80. Principalmente essa cena mais rock. Mas, o fato principal que motivou foi a historia da banheira. Eu achei incrível descobrir que ela jogava groselha nas pessoas e fazia disso um protesto incrível.

Antes de fazer o documentário você já conhecia a Claudia?
Eu a conhecia de vista, mas não pessoalmente. A conheci pessoalmente quando fiz um trabalho com ela e a partir daí comecei com a ideia de fazer o filme. O trabalho que está aí levou quatro anos para ser feito. Nos encontrávamos e fazíamos umas entrevistas com ela, mas o grosso foi feito recentemente.

Fazer documentário no Brasil já é difícil, acredito que fazer um que retrate uma artista transexual seja mais difícil ainda. Como foi pra conseguir patrocínio?
Eu apresentei o projeto para uns amigos que tem uma produtora, que é a Piloto, e eles abraçaram a ideia. Não teve nenhuma lei de incentivo fiscal e nem patrocínio. Foi todo feito pela produtora e eles deram toda a estrutura para fazer o documentário.

Vocês pretendem exibir o documentário em salas de cinema?
Pretendemos.

Tem previsão?
Ainda não, estamos tentando por aí. A Suzy Capo (dona do selo Filmes do Mix e diretora do festival Mix Brasil) está ajudando a gente. Ela também tem um projeto de distribuir. Apesar da aceitação do filme ser superlegal ainda tem um pouco de dificuldade (para conseguir patrocínio para distribuição).

Qual foi o critério de seleção dos entrevistados?
Boa parte das pessoas que eu procurava e que tiveram importante participação na vida da Claudia já tinha morrido. Era meio triste. Ela mesma falou que era difícil e que a agenda dela está cheia de cruzinhas. Então eu fui atrás de pessoas que tinham algo a dizer e não que necessariamente tivessem vivido com ela, mas que em algum momento a sua história estava relacionada com a da Claudia. Com isso eu quis resgatar a historia da Claudia, principalmente para a nova geração, que não sabe que pessoas como a Claudia deram a cara à tapa para muitas coisas. Hoje em dia as pessoas se montam e ficam mais a vontade, naquela época era muito difícil.

Teve medo que o documentário da Claudia fosse pra gaveta?
Ele chegou a ir por um tempo, mas depois rolou o interesse pelo projeto.

Tem algum projeto novo em vista?
Estou trabalhando em alguns projetos, mas nada muito fechado.

Esses projetos estão relacionados à questão gay?
Sim e não.

ASSISTAM O TRAILER!!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s